CONTOS

Um conto entre panelas

Era cozinheiro. Passava horas do dia no meio de panelas, temperos, massas, carnes, peixes, folhas e legumes. Entre cores, cheiros e sabores. Tudo isso era aproveitado ao máximo. A cada lágrima de cebola (que os olhos se acostumavam cada vez mais e as lágrimas caiam cada vez menos), ou o barulho que o filé do cherne fazia aos ser colocado na frigideira quente, untada com manteiga e azeite, levantando um cheiro espetacular. Ou até mesmo o ruído da coifa, que já tanto fazia parte do seu dia, tornando-se quase imperceptível, diante de todos os outros sons mais importantes e menos repetitivos.

Anúncios